Leonardo Oliveira/UNITAU

Formação múltipla é discutida em mesa-redonda sobre saúde

Aluno, Comunidade, Destaque, Professor, Saúde

“Como podemos melhorar a formação e a qualificação dos nossos alunos para o mercado atual?”. Foi com esse tema que a Universidade de Taubaté (UNITAU) deu inicio ao 1º dia do Meeting Universidade-Empresa, que aconteceu no Departamento de Arquitetura na manhã desta terça-feira, 11 de maio.

A programação contou com três mesas-redondas formadas por representantes de empresas colaboradoras, associações de classe, diretores e coordenadores de cursos da Instituição, especialistas das áreas de Ciências Humanas, Ciências Exatas e Biociências.

O Prof. Dr. Oscar Cesar Pires foi o mediador da mesa Saúde e Vida, composta pelo Prof. Dr. Ailton Augustinho Marchi, pelo Secretário da Saúde Prof. Dr. João Ebram Neto (os dois também são docentes da UNITAU), pelo cirurgião dentista Marcos Lourenço, pelo gestor administrativo do Hospital Regional Nilson Carvalho e pelo educador físico Ney Martins.

“É de suma importância que a Universidade realize eventos como este. O curso de Medicina, por exemplo, dura seis anos e, muitas vezes, encontramos profissionais com um baixo nível de conhecimento técnico. Participar deste encontro é o começo para uma nova formação universitária”, disse o Prof. Dr. Ailton.

O educador físico Ney Martins ressaltou a importância da multidisciplinaridade na vida acadêmica do profissional. “Nós não esperamos que o aluno recém-formado chegue até nós sabendo tudo, mesmo porque queremos contribuir para sua formação, mas é essencial que ele esteja disposto a aprender  de tudo um pouco. Que ele não se limite apenas àquela área que lhe agrada mais.”

“Os gestores das entidades que formam profissionais para esta área deveriam pensar em avaliar a aptidão antes de se iniciar qualquer processo de formação, pois entendo que cuidar de gente é, antes de tudo, uma questão de gostar de gente”, completou Nilson Carvalho.

Os pontos destacados pelos profissionais deverão ser estudados pelos docentes da Universidade, já que há a possibilidade de alterações nos currículos dos cursos em 2017. Assim, sugestões para aprimorar a formação dos universitários serão levadas em conta neste processo.

Thaiz Wertz
ACOM/UNITAU