Ex-aluno realiza parceria com a Universidade

Aluno, Conhecimento, Destaque, Empreendedorismo, Oportunidade

André Henrique da Silva Boigues é engenheiro mecânico, formado na Universidade de Taubaté (UNITAU) e trabalha na Pfaudler Equipamentos Industriais há mais de 23 anos. Em 2016, ele retomou o contato com a Instituição de uma forma diferenciada, por meio de uma parceria que prevê a fabricação de equipamentos que serão utilizados no Departamento de Odontologia.

Os materiais serão produzidos pela empresa em que trabalha e na qual fez carreira. Ele conta que já passou por diferentes setores na Pfaudler, entre eles o de Manutenção, o de Controle de Qualidade, o de Engenharia, o da Assistência Técnica, o de Vendas, o de Supervisão Industrial, o da Gerência e o da Diretoria. Hoje, Boigues é o site manager da Pfaudler, ou seja, é responsável pelo gerenciamento do site da empresa.

A carreira do engenheiro se iniciou ao ingressar na Universidade de Taubaté, em 1991, no curso de Engenharia Mecânica, após a indicação do seu tio, Antonio Carlos Gaban, que, na época, era funcionário da Pfaudler. Com isso, André ingressou na empresa em 1993, mesmo não sendo o sonho da sua vida. “Meu sonho, quando entrei na faculdade, era fabricar máquinas agrícolas, e essa foi a única coisa que não consegui realizar, ainda, na minha vida”, contou o engenheiro, que se formou em 1995.

Como estudante, Boigues relembra os momentos mais marcantes para ele dentro da Universidade. “O que mais me marcou foram os professores, tanto que, se me perguntarem, eu lembro o nome de quase todos”, recordou. “Sempre vou ter que falar o nome de cinco professores que mais me marcaram: O Prof. Me. Antonio Carlos Tonini, o Prof. Esp. Luiz Antonio Bovo, o Prof. Dr. Carlos Alberto Chaves, o Prof. Dr. José Rui Camargo e o Prof. Esp. José Carlos Sávio de Sousa”, concluiu.

O retorno de André à Universidade de Taubaté deve-se à requisição, feita pela UNITAU, de reatores – vasos de pressão com revestimento em vidro e aço – para os equipamentos do Departamento de Odontologia. André diz que vê o acordo com bons olhos. “Estamos fazendo produtos para uma Instituição que forma profissionais para o mercado e, mesmo que não tenhamos nenhum envolvimento com a Odonto – Departamento de Odontologia da Universidade –, isso afeta o meio social da empresa e é estimulante para mim e para todos que estão trabalhando no projeto”, afirmou.

Hoje André é casado e tem uma filha e diz estar no auge da carreira. “Se tem uma fase que pode ser chamada de ápice é a fase em que estou agora, porque é a primeira vez que estou de bem com a minha vida pessoal e com o trabalho.”

 

Caio Tebassi
ACOM/UNITAU

*Foto: Leonardo Oliveira/UNITAU