Alunos de Nutrição expõem pratos da gastronomia brasileira

Destaque

Os estudantes do primeiro semestre de Nutrição da Universidade de Taubaté (UNITAU) apresentaram nesta quinta-feira, 2, no Anexo de Laboratórios da Instituição, pratos típicos de diferentes regiões brasileiras, como avaliação final da disciplina de Iniciação à Gastronomia.

O principal objetivo deste projeto foi mostrar as habilidades culinárias do universitário de forma integrada com a Nutrição, com foco na valorização da cultura brasileira. Os grupos foram divididos e cada um ficou responsável por um Estado, mostrando sua gastronomia.

Entre os pratos estiveram pudim de pinhão (Paraná), baião de dois (Ceará), bolinho de bacalhau (Rio de Janeiro), pudim de tapioca (Alagoas), bolo de pupunha (Acre), paçoca de carne seca (Mato Grosso), canjica (Paraíba) e feijão tropeiro (Minas Gerais).

A Profa. Especialista Aline Liz de Faria destaca que este tipo de ação é muito importante para o futuro profissional dos alunos, pois faz com que eles desenvolvam a criatividade, aprendam a trabalhar em grupo e lidem com questões de sustentabilidade – presente na escolha de ingredientes, por exemplo.  “O objetivo é que ele seja um aluno atuante no exercício da sua profissão, contemplando as questões de cultura, de alimentação e de Nutrição”, afirma a docente.

Mostrar os costumes culinários de uma comunidade foi um desafio para os universitários. A aluna Marcela Tosetto Ferreira da Silva salientou que conhecer os pratos e a cultura das regiões foi positivo, assim como o trabalho em equipe. “Foi difícil, deu muito trabalho. Quase não dormimos, mas valeu a pena, nosso projeto está dando um resultado positivo”, disse a estudante, cujo trabalho envolveu o estado do Paraná.

O propósito é continuar com essa ação, já organizada no ano passado. A Profa. Dra. Jaqueline Girnos Sonati, uma das juradas, enfatizou que esse tipo de atividade cativa os alunos a ingressarem no curso. “Eles adoram Gastronomia. Temos alunos que nunca pegaram em uma colher para fazer um prato. Então, essa descoberta e contato com o alimento é maravilhoso”, garante a docente.

 

Renan Tomy
ACOM/UNITAU