Projeto Aero Design: unindo alunos e Universidade

Aluno, Destaque, Engenharia, Projetos

Foi com a intenção de construir aeronaves de pequena escala guiadas por controle remoto que surgiu o Projeto Aero Design no curso de Engenharia Aeronáutica da Universidade de Taubaté (UNITAU). O projeto leva os alunos a passarem por todos os processos de produção, desde o planejamento até a concepção final.

O Prof. Me. Pedro Marcelo Alves, graduado pela Universidade e atual coordenador do curso, relata que incorporou o projeto à Universidade, uma vez que ele acontecia por iniciativa dos alunos. Agora, a proposta é que a participação dos estudantes no Aero Design sirva como estágio, iniciação científica e renda temas de Trabalhos de Graduação (TG).  “Eu participei durante meus cinco anos de faculdade, me agregou muito profissionalmente, mas era uma iniciativa somente dos alunos”, contou.

Atualmente, o grupo envolvido no projeto é de 15 estudantes. “É multidisciplinar, temos alunos da Engenharia Mecânica, Engenharia Elétrica e Engenharia Civil”, afirmou.

Num primeiro momento, o estudante é introduzido ao assunto, exigindo estudo e leitura. Depois, as estruturas de projeto são definidas, como deve ser feito e qual o ponto de partida. Em seguida, a parte conceitual, onde é definido o tamanho e formato. Então, o estudante é encaminhado para sua disciplina específica, em que diversos grupos trabalham para o mesmo fim: construir a aeronave. “Esse grupo de 15 alunos orienta outro grupo de 35 alunos. Realizamos reuniões semanais, e os alunos da equipe principal passam todo o conhecimento para esses outros estudantes que pretendem fazer parte também”, explicou.

A competição Aerodesign, que ocorre em São José dos Campos, conta com a participação de diversas universidades, em que os estudantes apresentam seus projetos e aeronaves. Mas as vagas são limitadas, apenas 98 equipes podem participar, e a escolha é feita por meio de um sorteio. Neste ano, a UNITAU não foi sorteada, assim como outras Instituições.

editada
A turma Aero Design reunida com o professor Pedro Marcelo – Créditos: Arquivo Pessoal

Pensando nisso, os organizadores do evento propuseram um torneio de acesso para essas equipes. “Se a equipe comprovar que consegue projetar essa aeronave e concluir o percurso, ela entra para a competição do ano que vem”, contou. A equipe da UNITAU tem trabalhado para isso, com o intuito de marcar presença na competição no próximo ano.

Mariana Martins Duque é estudante do 5° semestre em Engenharia Aeronáutica e faz parte do projeto desde novembro do ano passado. “Eu quis participar porque agrega muito conhecimento, ter essa vivência em equipe e como engenheira”, contou. “Eu acho bem atrativo termos essa parte prática, estudar e fazer um avião de verdade.”

De acordo com a aluna, estar no projeto a ajudou em diversas disciplinas do curso e essa bagagem prática faz diferença no currículo. Quanto à expectativa para a aeronave desenvolvida: “Se voar, completar o circuito e pousar, já é muita coisa. Porque é muito trabalho e cálculo, a gente só espera que dê tudo certo com o nosso avião”, finalizou.

Flavio Lima Junior, do 6° semestre de Engenharia Mecânica, está na equipe desde o fim do semestre passado. “Achei interessante poder participar de algo interdisciplinar, e poder aplicar os conhecimentos que temos em sala de aula”, disse. O estudante acredita que a participação pode trazer retorno profissional. “A competição é muito reconhecida pelo setor da aeronáutica, e ter essa experiência em projetos conta muito na hora da contratação”, afirmou.

Lucas Galvão de Azevedo é do 1° semestre em Engenharia Aeronáutica e entrou para o grupo no início deste ano. “Me interessei porque tenho técnico em manutenção de aeronaves e pensei que poderia ajudar e me envolver mais.” Para ele, essas iniciativas podem servir como porta de entrada para outros projetos dentro da UNITAU. “Só espero coisas boas, que o projeto continue crescendo e inspirando”, finalizou.

Ingra Lombarde
ACOM/UNITAU