Programas de Iniciação Científica da Universidade: crescimento na vida profissional e acadêmica

Destaque

A pesquisa científica é um modo de conhecer e interagir com outras vertentes dentro da profissão e da vida acadêmica. A experiência abre os olhos dos estudantes para novos ambientes, novos relacionamentos, novas descobertas, além de estimular o conhecimento e a curiosidade.

Em longo prazo, incluir no currículo o certificado de participação em grupos de pesquisa, em programas de iniciação científica e em congressos científicos, é um diferencial que os alunos podem aproveitar já durante a graduação.

A Universidade de Taubaté (UNITAU) está com as inscrições abertas, até 27 de novembro, para o Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC), Programa Institucional de Bolsas de Inovação e Tecnologia (PIBITI), Programa Institucional de Inovação e Tecnologia Voluntário (PITIVOL) e Programa de Iniciação Científica Voluntário (PICVOL).

Neste ano, os programas contam com uma cota dedicada aos projetos de professores e alunos do ensino médio da Escola de Aplicação Dr. Alfredo José Balbi.

Aos participantes desses programas internos, é destinado um desconto na folha de pagamento da mensalidade. No meio do ano, a Universidade abre inscrições para as mesmas bolsas, mas junto ao CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico), e para os participantes nessa categoria, é destinada uma ajuda de custo.

O Prof. Dr. Valter José Cobo, presidente do comitê interno de Iniciação Científica da UNITAU, explica como funciona o processo para participar dos programas. “O estudante não se inscreve, quem inscreve o projeto é o orientador. Uma vez que o projeto é selecionado, o professor tem um tempo hábil para indicar um aluno”. Na Universidade existem muitos grupos de pesquisas para diversas áreas, o aluno deve entrar em contato com os professores responsáveis e revelar o interesse em participar. Após isso, será avaliado o desempenho escolar e nível de excelência. “Existem esses critérios, porque uma coisa não deve atrapalhar a outra, a iniciação científica deve ser um extra na graduação”, disse.

sitee-2
O CICTED é um evento promovido pela UNITAU que tem como finalidade apesentar os trabalhos científicos nas áreas de Biológicas, Exatas e Humanas. / Crédito: Leonardo Oliveira

O docente esclareceu que os projetos são individuais, o estudante deve ter dedicação de 10 horas semanais e presenciais, participar das reuniões realizadas pelo comitê e apresentar relatórios sobre o processo de pesquisa.

“Esses programas visam o aluno, ele deve sair transformado desse processo”, afirmou Valter. Para ele, o Programa de Iniciação Científica é uma tradição na UNITAU e é benéfico para todos os envolvidos.

Além disso, a participação nos programas garante qualificação no currículo dos alunos. “Isso tem um peso muito grande, estimula o aluno a ingressar no universo cientifico, fomenta ideias e induz a carreira. Isso salta os olhos de um entrevistador num processo seletivo”, afirmou.

O docente deixou um recado para os estudantes que não fazem parte dos grupos de pesquisas. “Tentem conhecer o programa, conversem com os colegas que participam, porque o principal beneficiado é o aluno. Quando ele começar a entender, o seu interesse será despertado”, finalizou.

Quanto às bolsas voluntárias, são aplicadas os mesmos critérios e regras de seleção e inscrição.

Para mais informações, acesse a deliberação Consuni, as Normas Operacionais  e o site da Unitau .

Ingra Lombarde
ACOM/UNITAU

Crédito: Giovanna Madureira/UNITAU.