Pelas ruas da vida: em cada esquina uma superação

Agronomia, Aluno, Destaque

 

O brilho nos olhos e o sorriso estampado no rosto não negam: está valendo a pena. Como todo caminho, o da jordanense Juliani Paola Ribeiro de Moraes, de 23 anos, desde sempre, teve os seus obstáculos, mas ela, com seu otimismo e sua coragem, os supera constantemente.

A trajetória começa a partir do ingresso no curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas da Universidade de Taubaté (UNITAU). “Eu sempre gostei da parte de informática. Foram muitos os desafios porque eu tinha praticamente uma jornada tripla, trabalhava, ia para a faculdade e, aos finais de semana, participava da Escola da Família. Estou sempre ligada no 220”, conta orgulhosa.

Um dos desafios estava na sala de aula, já que Juliani era uma, das duas  mulheres de sua turma. “Eu superei o preconceito”, relata. A coragem foi uma das ferramentas essenciais para que essa fase fosse superada e concluída com sucesso. “Minha mãe sempre me falava ‘vai firme que você aguenta!’”, compartilha.

Ser minoria, de certa forma, sempre foi uma situação presente em sua vida. Aos 18 anos de idade, a jovem passou no concurso dos Correios, onde atuaria como carteira em sua cidade, Campos do Jordão. “Sempre fui uma pessoa que todo mundo desafia. Quando eu entrei nos Correios, num cenário de 45 pessoas, só cinco eram mulheres. Disseram que eu não aguentaria a experiência e, hoje, faz seis anos que eu estou lá”, revela com ar de dever cumprido.

Apesar de ainda não trabalhar na sua área, Juliani, que se formou em 2016, deu início neste ano à sua Pós-graduação em Gestão de Projetos em Business Intelligence, também na UNITAU. Seu trabalho como carteira é o que permite, desde o início, o investimento nos estudos. “Por enquanto, estou trabalhando, fazendo a pós e vou começar o inglês. Pretendo terminar, fazer o mestrado e só parar no doutorado. Com certeza, é daqui para mais”, diz a aluna, com o riso largo.

Corajosa, batalhadora e forte. Esses são os adjetivos com os quais Juliani se define como mulher. Ainda que sua rotina seja constantemente ativa, ela ainda divide seu tempo livre com as aulas de jiu-jitsu, as séries preferidas, as idas ao cinema e os jogos de vídeo-game.

Assim como todo bom sonhador, esta mulher, mesmo que tão nova, almeja e corre atrás de deixar as ruas de Campos do Jordão, para conquistar as ruas do mundo afora. “Nós, mulheres, temos de buscar além, não só aquilo que a sociedade entende que é o que devemos fazer. Somos capazes de superar todas as expectativas que colocarem sobre nós”, conclui.

 

 

Giovanna Madureira

ACOM/UNITAU

 

*Foto: Thiago Bonésio ACOM/UNITAU