editada-2

Alunos de Fisioterapia conscientizam idosos em ação sobre Parkinson

Acontece, Artigo, Comunidade, departamento, Destaque, Fisioterapia, Saúde

O dia 11 de abril é o dia internacional do Mal de Parkinson, ou a doença de Parkinson, como também é chamada. Trata-se de uma doença do cérebro, que provoca tremores e dificuldade na coordenação e atinge mais de 150 mil brasileiros por ano.

Em busca de conscientizar e instruir idosos sobre o assunto, alunos do Departamento de Fisioterapia da Universidade de Taubaté (UNITAU) realizaram uma ação no Centro do Idoso Padre Hugo Bertonazzi, em Taubaté.  “Foi uma ideia dos alunos fazer essa atividade. É outra forma de aprendizado, outra forma de interação que eles podem ter”, explica a Profa. Ma. Karla Rodrigues, coordenadora do curso. Em 11 de abril, completa-se 200 anos de descoberta da doença.

Com o objetivo de desmitificar a doença, de uma forma educativa e dinâmica, os alunos apresentaram uma pequena peça de teatro e, logo depois, uma oficina de origami em que os participantes tiveram a oportunidade de criar uma tulipa, flor que é símbolo do combate à doença. “Da mesma forma que podemos ensiná-los, podemos aprender com eles. Aprender com a alegria que eles demonstram mesmo muitos tendo vários problemas, inclusive a própria doença que estamos falando hoje”, conta Mayara Nascimento de Melo, aluna do 8º período de Fisioterapia da UNITAU.

A troca de informações e experiências se mostra essencial para ambos os lados. “É ótima essa iniciativa. Conseguimos trabalhar a questão de informação, da socialização e da interação, isso é muito importante. Eles gostam de receber as pessoas aqui”, ressalta Daniele Calcanhoto, assistente social e responsável técnica do local.

 

Ação sobre Parkinson
Foto: Leonardo Oliveira ACOM/UNITAU

O Centro recebe hoje cerca de 30 idosos, que participam de diferentes atividades de segunda à sexta, das 8h às 17h. Máximo Alves de Moura, de 89 anos, é um dos participantes que está sempre envolvido. “Eu sempre participo das atividades, gosto mais daqui do que da minha casa”, disse. O tratamento e a boa convivência são o que o inspira. “Eles cuidam da gente com tanto carinho, não tem outro lugar igual. Eu costumo dizer pra todo mundo que é o paraíso, e é a verdade”, finalizou.

Giovanna Madureira

ACOM/UNITAU

Foto: Leonardo Oliveira ACOM/UNITAU