Aluno trilha caminho em direção à docência

Acontece, Aluno, Conhecimento, Destaque

Escolher uma profissão não é tarefa fácil e, mesmo depois de já estar na graduação, existem diferentes opções em relação às áreas de atuação do profissional. O processo para a decisão pode ser construído pouco a pouco ou, em alguns casos, já estar presente na vida do estudante.

Aluno do 7º semestre do curso de Odontologia da Universidade de Taubaté (UNITAU), Lucas Mansano Vieira da Silva tinha em mente investir em uma carreira acadêmica antes mesmo de ingressar na Universidade. “Eu gosto desse contato entre o aluno e o professor”, conta.

Pensando em alunos como o Lucas, a UNITAU, por meio da Pró-reitoria de Graduação (PRG) oferece o Programa de Iniciação à Docência (PID), que dá a oportunidade aos participantes de vivenciarem atividades de magistério em disciplinas que, possivelmente, lecionem no futuro. Bolsista do PID pelo segundo ano, o estudante exerce um papel regular nas atividades de seu Departamento. “Eu participo da aula teórica em sala, auxilio em laboratório nas pré-clínicas e no próprio atendimento”, relata.

A monitoria é feita com o auxílio de um professor mentor e engloba desde trabalhos teóricos até manuais, fornecendo o suporte necessário para uma boa preparação. “O programa me ajudou a despertar ainda mais o interesse em dar aula. Isso me ajuda a ver na prática as técnicas de ensino usadas na sala de aula. Agora que eu estou como monitor, eu vejo as coisas de outra maneira”, afirma o aluno.

Apesar de ser um diferencial na graduação, Lucas aponta que a oportunidade depende também do interesse do próprio aluno. “Ele tem de conversar com o professor, tem de buscar meios de conseguir preencher o currículo”, ressalta. A experiência é, de fato, um ganho em sua formação. “Tanto a monitoria quanto tudo o que eu tive durante a faculdade estão me dando subsídio e conteúdo pra enfrentar o mercado de trabalho. Esse foi só o primeiro passo. Quero sempre estar estudando”, conclui.

Outro benefício do PID é a chance de os participantes continuarem com a monitoria após a graduação. “Eu pretendo seguir fazendo esse trabalho. Isso vai fazer com que eu esteja em uma educação continuada e que nunca perca o contato com o aluno”, finaliza.

Giovanna Madureira

ACOM/UNITAU

 

*Foto: Giovanna Madureira ACOM/UNITAU