O profissional do Direito no mercado de trabalho

Artigo, Conhecimento, Destaque, Direito

No início do mês de maio, a Universidade de Taubaté promoveu a quarta edição do Meeting Universidade Empresa, reunindo  alunos, professores e diversos profissionais com atuação marcante em empresas da região. Tratar-se de encontro de fundamental importância na formação de nossos alunos, pois, por meio de um contato direto com diversos profissionais do mercado,  é possível que eles saibam quais as atuais necessidades e tendências do mercado de trabalho.

Diferentemente de outras mesas, a destinada ao Departamento de Ciências Jurídicas, tendo em vista a relevância das carreiras públicas para o bacharel em Direito,  além de reunir profissionais que atuam na inciativa privada (um advogado autônomo, uma advogada coorporativa e um administrador de relações trabalhistas), também reuniu servidores públicos concursados, atuantes em diversas carreiras jurídicas públicas (um magistrado, um promotor de justiça, um delegado de polícia e um procurador da Fazenda Nacional).

Logo de saída, a mesa demonstrou aos alunos que, diante de um elevado índice de desemprego e, ainda, considerando-se o excessivo número de bacharéis em Direito que se formam todos os anos, eles precisam procurar um diferencial para obter destaque em qualquer carreira jurídica. E no que consiste esse diferencial? Em primeiro lugar, a necessidade que o aluno do curso de Direito tem de se manter, sempre, muito bem informado sobre os aspectos mais relevantes da sociedade brasileira e, sobretudo, da política. Ademais, o estudo contínuo das leis, da doutrina e das decisões judiciais. Ttambém foi deveras lembrado pelos participantes, ou seja, restou muito claro aos alunos que o sucesso em um concurso público começa com uma faculdade bem feita; todos os presentes afirmaram isso. Outrossim, após o término da graduação, mostra-se premente a realização de cursos de extensão e de pós-graduação, seja sem sentido lato ou estrito, como forma de aprimoramento do saber jurídico do aluno.

Por outra banda, principalmente na área privada da advocacia coorporativa, restou evidenciado, também, a necessidade que o bacharel em Direito tem de falar e escrever numa segunda língua, preferencialmente o inglês. Sem a fluência na língua inglesa, é praticamente impossível a ascensão de um advogado em uma multinacional. Nesse ponto, um dos participantes da mesa chamou a atenção para a necessidade primeira que o bacharel em Direito deve ter, qual seja, saber fazer o bom e correto uso da própria língua portuguesa, muitas vezes maltratada pelos estudantes e até mesmo por alguns profissionais.

Com relação aos concursos públicos, a palavra-chave usada pelos participantes foi foco e determinação. Foco, pois o candidato precisa saber em qual carreira pública pretende seguir. É de pouca valia para o candidato participar de vários concursos públicos, para carreiras diferentes, pois as matérias de destaque são distintas. Foi comentado na mesa que o aluno deve escolher uma carreira e persegui-la,  mesmo sabendo que o próximo concurso só será aberto daqui a alguns anos. E a determinação é o estudo incansável, mas com técnica, que o aluno deve desempenhar. O trabalho dos aspectos psicológicos também foi enfatizado pelos presentes, pois a incerteza de uma aprovação em determinado concurso geralmente afeta o psicologicamente o candidato.

Nesse ponto, a mesa destacou aos presentes a importância do estágio. Muitas vezes, o acadêmico pensa em seguir uma determinada carreira jurídica, mas não tem prática alguma nesta carreira, logo o estágio é o momento apropriado para que ele verifique se aquela profissão jurídica é realmente a que almeja.  Não raras vezes, o fetiche por uma determinada profissão jurídica se esvai, após alguns meses de estágio, proporcionando ao aluno, assim, ainda na graduação, a correção do rumo de sua carreira jurídica.

No tocante à escolha da carreira jurídica, importante assertiva foi feita por um dos presentes: “a quem você quer estender sua mão e ajudar?” Se aos hipossuficientes, seja defensor público, se à sociedade, seja magistrado ou promotor de justiça, se deseja combater de perto os criminosos, seja delegado de polícia, se quer ajudar pessoas e empresas, seja advogado.

Por fim, os presentes enfatizaram, de uma forma geral, a necessidade de que o aluno busque uma carreira que lhe traga prazer, que exerça uma profissão com gosto e dedicação para que o sucesso lhe seja uma grata consequência.

Enfim, após uma série de perguntas, o evento foi encerrado com a certeza de que os presentes receberam, dos profissionais convidados, valiosos conselhos, que, com certeza, os auxiliarão tanto na escolha de sua profissão quanto no caminho que deverão percorrer para alcançar o sucesso na carreira escolhida.

Prof. Me. Ricardo Mrad é Diretor do Departamento de Ciências Jurídicas da UNITAU.

Foto: Tulio Vilhena/ACOM