joao

Ex-aluno da Universidade é eleito como defensor público geral do Paraná

Acontece, Aluno, Conhecimento, departamento, Destaque, Professor

No dia 7 de Agosto, o ex-aluno e ex-professor do Departamento de Ciências Jurídicas da Universidade de Taubaté (UNITAU) Eduardo Pião Ortiz Abraão foi eleito defensor público geral do Estado do Paraná, para o biênio 2017/2019 e tomará posse no dia 16 de Outubro deste ano.

Por gostar mais da área de humanas, por crer que na área jurídica teria uma profissão que servisse de apoio à resolução de problemas e dificuldades enfrentadas pelas pessoas ao tentar acessar seus direitos e pela influência de seu pai, que também era advogado, optou por fazer o curso e ingressou na UNITAU em 1995.

Eduardo começou a trabalhar aos 16 anos no comércio de seus pais, e quando terminou a graduação, começou a advogar e se tornou professor universitário, fazendo parte da grade de professores da Universidade de Taubaté por mais de dez anos. Classifica essa experiência como extraordinária, pelo fato de poder dar aula na Instituição onde se formou. “A Universidade colaborou muito em meu processo de formação profissional, tive ótimos professores e desfrutei da boa estrutura fornecida pelo curso, consegui, por meio das aulas e das palestras, obter uma base sólida que me projetou com boas condições dentro do mercado de trabalho”, afirma.

O ex-aluno e ex-professor diz que a dedicação dos profissionais da UNITAU foi algo que o marcou, além do acolhimento de todo o Departamento durante o curso. Isso fez com que ele se dedicasse muito aos estudos em sua época de estudante, procurando revisar toda a matéria passada no período noturno, por conta de seus compromissos durante o dia. Ele afirma que esse esforço foi um impulso para sua carreira profissional. Eduardo aconselha os alunos de Ciências Jurídicas a se manterem atualizados e a terem dedicação e perseverança. “Se o aluno se dedicar desde o começo do curso, terá todas as condições de ter um futuro promissor na área. Se o aluno for dedicado, o resultado positivo será uma mera consequência desse esforço”, ressalta.

Quando ingressou na Universidade, Abraão comenta que não imaginava que um dia seria defensor público. Porém, quando tomou ciência do que era a defensoria pública, detectou qual seria a instituição em que queria trabalhar. Hoje, ele diz estar convicto de que escolheu a carreira certa e conta que sua rotina é bem intensa, mas, para ele, é muito satisfatório poder atender a população de baixa-renda e fazer essa conciliação dos conflitos nos processos e nas audiências.

Apesar de estar morando no Paraná, Eduardo se considera “filho de Taubaté”, vem para a cidade com frequência e mantém contato com alguns colegas de graduação. Questionado se ele se considera realizado profissionalmente, afirma: “Sinto-me realizado, mas ainda pretendo lutar muito para que a defensoria pública se fortaleça e forneça cada vez mais, um serviço de qualidade à população que dela tanto precisa”.

 

João Santana

ACOM/UNITAU

 

*Foto: Arquivo Pessoal