Estudantes organizam aula aberta para discutir o genocídio da população negra

Acontece, Aluno, Comunidade, Cultura, Destaque, Eventos, História, Letras, Professor

Os alunos do Departamento de Ciências Sociais e Letras e de Serviço Social da Universidade de Taubaté (UNITAU), por meio do Centro Acadêmico (C.A.) Carlos Mariguella realizam hoje, 16, uma aula aberta para discutir o genocídio da população negra e periférica e a violência do Estado. A iniciativa surgiu por conta do assassinato da vereadora Marielle Franco, ocorrido na última quarta-feira, 14, no Rio de Janeiro.

O encontro está previsto para as 19h e contará com a participação da Profa. Ma. Deise de Moraes e da Profa. Ma. Thais Travassos, docentes do curso de Letras, e da Profa. Dra. Suzana Lopes, docente do curso de História. O local escolhido foi a Praça Monsenhor Silva Barros, no centro de Taubaté. Caso esteja chovendo, a atividade será no Salão Nobre do Departamento de Ciências Sociais e Letras, na Rua Visconde do Rio Branco, 22.

Segundo levantamento do IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), um cidadão negro tem 23,5% mais risco de ser assassinado em comparação aos demais brasileiros.

A Universidade de Taubaté repudia todo e qualquer tipo de violência e acredita ser um momento fundamental para a manifestação de todos os setores da sociedade. A UNITAU apoia a inciativa dos alunos e dos professores por trazer tais discussões para o âmbito acadêmico.

 

Marina Lima

ACOM/UNITAU