Alunos do curso de Arquitetura realizam intervenções na cidade

Acontece, Arquitetura, Comunidade, Projetos

Os estudantes do 3º semestre de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de Taubaté (UNITAU) fizeram intervenções poéticas nas redondezas da linha férrea da Avenida Nove de Julho, área central de Taubaté.  O objetivo da ação era trazer para o local degradado algo que mostrasse o potencial da área.

A atividade faz parte da disciplina Arquitetura e Ambiente, e os alunos foram divididos em grupos, cada um criando uma intervenção diferente, intervenções que ficaram disponíveis para que a população pudesse interagir com elas. “A Arquitetura não é só desenho, no caso de uma obra você tem que desmontar, então a ideia de fazer uma intervenção é começar a fazer uma relação com os espaços, você vai aonde você quer e faz uma pequena intervenção, que seja simbólica, da ideia que você tem para aquela região”, revela o Prof.Dr. José Oswaldo Soares de Oliveira.

“A nossa intervenção urbana é deixar a segregação de lado entre a linha férrea, a avenida e as casas que estão atrás. A gente quis trazer para as casas que estão fechadas por muros uma janela para que ela pudesse interagir com a linha férrea, pois elas fazem parte do meio urbano e da sociedade”, explica o aluno Pedro Augusto Calderaro, da intervenção A janela no muro.

Outra intervenção foi o balanço. “A nossa proposta foi de descaracterizar a área e trazer alguma coisa que fosse lúdica e também poética para o lugar. Por ser na frente do hospital e por ter pontos de comercio próximo, foi uma maneira de criar alguma coisa que interagisse com o ambiente e com as pessoas”, informa a aluna Julia Rangel.

Houve também intervenções no viaduto. “A gente quis trazer as pessoas para o viaduto para ver uma cidade de uma perspectiva diferente, que poucas pessoas veem. É deixar o tumulto da cidade lá em baixo e vir aqui para cima, assim você consegue fazer uma leitura da cidade, aguçando o olhar fotográfico da paisagem”, explica o aluno Daniel Guinsburg.

“A minha intervenção foi mostrar para a população que eles têm no ambiente ganhos para si, num local em que as pessoas só roubam. Essa intervenção dá a ideia de presentear as pessoas, de dar um presente para elas e ao mesmo tempo cuidar do ambiente ao pegar uma muda de planta para poder replantar”, expõe a aluna Gabriela Rodrigues, responsável pela ação que deixou mudas de plantas para a população.

As intervenções contam ainda com o apoio de dois ex-alunos que estão no Projeto de Iniciação à Docência e que aprovam a iniciativa de transformar o ambiente. “Esse trabalho já foi desenvolvido no México e na Europa, e a gente está tentando trazer um caráter nosso. Essas intervenções são específicas de cada aluno, de cada leitura do ambiente e de cada espaço que a gente estava disponibilizando para eles trabalharem, no caso a região da Rodoviária Velha até a CTI, que é um ambiente que tem bastante carros e movimento”, informa o ex-aluno de Arquitetura José Júlio Barreto.

“A experiência em si é muito válida, porque a gente acaba passando por áreas no caminho da faculdade que são muito hostis e a gente propõe intervenções que vão mudar todo esse contexto, tanto para quem está passando quanto para a gente que está interferindo no meio”, diz o ex-aluno de Arquitetura Vitor Maciel.

O Prof. Dr. José Oswaldo salienta a importância dessa ação para os alunos. “Os alunos estão trabalhando com a Arquitetura em uma escala real, em que as pessoas estão passando, estão interagindo. A população está vendo e os alunos têm o retorno”.

“A gente começa a trabalhar no meio social, não só trazendo Arquitetura, mas o Urbanismo também. É agregar a arte com o meio social, e isso é algo bem bacana”, afirma o aluno Pedro Augusto sobre a aula prática.

 

Julia Carvalho

ACOM / UNITAU

*Foto: Leonardo Oliveira/ACOM