Alunos e professores da UNITAU avaliam resultados de projeto aplicados em escolas municipais

Acontece, Convênio, Destaque, Extensão, Institucional, Professor, Projetos

Alunos e professores da Universidade de Taubaté (UNITAU) participantes dos 19 projetos pedagógicos de extensão aplicados na Rede Municipal de Ensino Integral reuniram-se para avaliar os resultados obtidos neste primeiro semestre e traçar metas para o restante do ano. Os projetos são viabilizados por meio de dois convênios entre a Prefeitura de Taubaté e a Universidade.

Atualmente, são 19 projetos ligados à rede municipal de Ensino Integral, sendo dez voltados para a Educação Infantil e nove para o Ensino Fundamental. As atividades englobam áreas como meio-ambiente, alfabetização, inclusão social, prevenção bucal, preservação patrimonial, esporte, comunicação, ciências exatas e prevenção ao uso de drogas. Cerca de 2.700 alunos são atendidos entre Ensino Infantil e Fundamental.

Cerca de 150 bolsistas participaram do encontro, que ocorreu no Departamento de Pedagogia da UNITAU, na última quinta-feira, 7. Temas como o acolhimento na unidade escolar por parte dos gestores, coordenadores, funcionários, oficineiros, auxiliares e alunos, a mudança na formação pessoal e profissional a partir da atuação no projeto e etc. foram objetos de discussão no evento.

Após o debate, os grupos apresentaram as conclusões no auditório do Departamento. A sociabilização e a inclusão foram destacadas como resultados obtidos. O desafio de fazer com que os projetos possam fazer parte do cotidiano da unidade escolar foi exposto como um dos desafios a seguir.

Amanda Ferraz, que cursa o terceiro semestre de do curso de Pedagogia e é uma das bolsistas que atuam nas escolas, destacou que a experiência tem servido tanto para sua formação pessoal como para a profissional. “Está sendo muito importante esse contato, pois é isso que vamos encontrar no mercado. E em especial nesta área da educação especial, que tem cada vez mais ganhado visibilidade. É gratificante ver o desenvolvimento e o empenho das crianças”, enfatizou a aluna. Ela é integrante do projeto “Ética e inclusão escolar: falando com as mãos”.

A professora Rachel Abdala, coordenadora do projeto “Educação Patrimonial”, pontuou a sociabilidade da UNITAU por meio do contato com a comunidade. “Esse é o papel da Universidade. Aproximar-se cada vez mais da comunidade com a contribuição do conhecimento adquirido dentro da academia partilhado com a população, neste caso em especial, com alunos da rede municipal de ensino”.

Após o encontro dos alunos, os professores coordenadores fizeram uma reunião com membros da Secretaria de Educação do município, em que apresentaram os ganhos e os resultados dos projetos e sugeriram mais ferramentas para serem inseridas nas práticas escolares.

Bruno Monteiro

PREX/UNITAU