Alunos da Escola de Aplicação UNITAU recebem bolsa de iniciação científica júnior

Acadêmico, Acontece, Aluno, Balbi, Bolsa de estudo, Destaque, Ensino Superior, Escola de Aplicação, Iniciação científica, Oportunidade, Pesquisa

Quatro alunos da Escola de Aplicação Dr. Alfredo José Balbi foram contemplados com bolsas de iniciação científica, fornecida pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Na próxima quarta-feira, 22, às 19h, a Escola e a  Pró-reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação entregarão os certificados da bolsa aos estudantes.

Essa é a primeira vez que a Universidade é contemplada com bolsas de iniciação científica para o Ensino Médio. Os selecionados poderão realizar pesquisas nas áreas de Biociências ou de Exatas.

Na primeira etapa, foram pré-selecionados 22 alunos a partir de critérios determinados pelo CNPq para concorrer às bolsas de pesquisa. Eles participaram de uma reunião com a Prof. Dra. Viviane Fushimi, do Departamento de Comunicação Social, e com o Prof. Dr. Valter Cobo, do Departamento de Ciências Biológicas. Rafaela Helena, aluna do 2° A, adorou o encontro e ficou animada com a proposta. “Eles são bem atenciosos e esclarecem muito bem as dúvidas. Eles passam segurança e a gente consegue ver que sempre vai ter um apoio”. Se antes ela pensava no pesquisador como aquela figura estereotipada de livros e filmes, agora ela sabe: “Eu posso estar no lugar dele”.

Ao final do processo seletivo, os nomeados para a bolsa são: Brunna Bezerra Nunes, Liriel Sales Diniz, Rafaela Vieria de Castro e Valter Reis de Oliveira Santos.

A concessão das bolsas de pesquisa, neste momento em que o país vive cortes nos investimentos na área, é fundamental para a divulgação da importância da ciência para o país. “Quanto antes você aproximar o aluno dessa realidade de pesquisa, você tem uma sensibilização dessas crianças para o desenvolvimento do conhecimento científico”, explica a professora Fushimi. “Tem reflexo na qualidade de ensino, na formação daquele menino ou daquela menina que vê que algo que não lhe parecia tão importante é base, que precisa disso para ir além”, completa o professor Cobo.

Marina Lima
ACOM/UNITAU

Foto: Marina Lima/ACOM