Professor realiza projeto de pesquisa com alunos do Ensino Médio

Acadêmico, Acontece, Ciências Biológicas, Destaque, Fora das Salas, Iniciação científica

O Prof. Dr. Julio César Voltolini, do Departamento de Ciências Biológicas da Universidade de Taubaté (UNITAU), orientou um curso para os alunos do Ensino Médio sobre iniciação científica.

A atividade faz parte do projeto Iniciação Científica na Escola, no qual o professor reúne estudantes de diferentes escolas, com o objetivo de mostrar como é o dia a dia de um pesquisador.

O projeto acontece em três dias. No primeiro, os alunos vão a campo coletar informações. Depois, vem a etapa de análise de dados em laboratório e, para concluir, o grupo escreve um miniartigo científico. No último encontro, o grupo realizou pesquisa de campo no Parque do Itaim, com foco na ecologia da Mata Atlântica.

Para a aluna Jaqueline Ferreira, da escola Professor José Ezequiel de Souza, o projeto é um aprimoramento do que ela aprende em sala de aula. “Quero trabalhar na área de desmatamento e de conservação, e essa experiência está contribuindo muito para mim. É algo a mais que temos no nosso currículo”, comenta a estudante.

Ana Paula de Araújo veio de Pindamonhangaba para participar do projeto. Para ela, a experiência é uma prévia do que vai conhecer na faculdade. “O meu sonho é trabalhar com Biologia. Quero ser professora, e a parte de que mais gosto é a Ecologia, ver como a vida tem toda essa interdependência. Com essa experiência, a gente vê como funciona a pesquisa na prática. É algo que vou levar como base nas próximas pesquisas”, conta a aluna da Escola Dr. Alfredo Pujol.

Segundo o Prof. Voltolini, esse projeto auxilia na formação do aluno, tornando-o mais preparado para a graduação. “Por meio dessa abordagem, os alunos conseguem entender melhor várias disciplinas apreendidas na escola, trabalham em equipe ao longo de todo o processo e se tornam mais críticos em relação ao mundo que os rodeia. Ou seja, trabalhar com aprendizagem baseada em projetos de pesquisa forma o futuro cientista, mas também um melhor cidadão”, ressalta.

Os melhores trabalhos serão enviados para congressos científicos regionais e nacionais.

 

 

Nathália Sobral

ACOM/UNITAU

Foto: Leonardo Oliveira