Inglês para crianças: aprimorar a segunda língua com os pequenos

Comunidade, Conhecimento, Destaque, Educação, Letras

Muitas questões podem surgir quando a pauta é a introdução da segunda língua na vida das crianças. Qual é a idade certa para começar? Escolas de idioma são a melhor opção? Como os pais podem ajudar os filhos nesse aprendizado? A Profa. Ma. Andréia Alda, do Departamento de Ciências Sociais e Letras da Universidade de Taubaté (UNITAU), traz dicas para facilitar o aprendizado de inglês entre crianças.

Começar desde pequeno

Segundo a professora, não existe idade ideal para aprender inglês. “Quanto mais cedo a criança tem contato com uma segunda língua, mais fácil é a aprendizagem. Ela tem mais flexibilidade para pronunciar, então o inglês dela é mais limpo de sotaques”, explica.

Deixar o aprendizado mais leve

Não obrigar e não forçar a criança a estudar torna o ensino muito mais proveitoso.  “Aprender inglês de forma lúdica, sem cobranças, faz com que a criança aprenda a língua como qualquer outra atividade importante de sobrevivência ensinada na escola”, conta a mestra em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem.

Usar o português como apoio

A língua materna, principalmente no caso do português (por sua origem latina, assim como a do inglês), pode auxiliar na aquisição de vocabulário na segunda língua. “Muitas palavras, ainda que a pessoa não fale inglês, quando ouvidas, já são identificadas. Sabe-se que information significa informação, porque tem o mesmo radical, o início da palavra é igual. A semelhança na estrutura por conta da origem latina faz com que o aprendizado da língua seja muito mais fácil”, afirma.

Incluir o inglês na rotina

É importante que a língua seja introduzida em situações cotidianas vividas pela criança, aproximando o inglês da vida dela. “Ela está chegando à escola, então tem que aprender a cumprimentar. Ela vai associar o cumprimento em inglês com aquele período de chegada, não precisa ficar traduzindo. Só de ouvir o(a) professora(a) dizendo “hello, nice to see you (olá, prazer em te ver)”, ela vai começar a cumprimentar dessa mesma forma”, aponta.

Continuar o aprendizado em casa

O incentivo da família impulsiona ainda mais a criança. Com atividades simples, já realizadas em casa, ela aprende ainda mais. “Se os pais falam a língua, podem conversar e brincar com a criança em inglês. Se não, devem incentivar. Quando a criança começa a chamar os pais de daddy e mommy, eles acham lindo e aplaudem. Esse incentivo faz com que a criança volte para a sala de aula querendo trazer para casa uma novidade a cada dia, e isso já é muito bom”, finaliza a professora.

 

Marina Lima

ACOM/UNITAU

Foto: Leonardo Oliveira