Fisioterapia neurofuncional é tema de evento na UNITAU

Acontece, Aperfeiçoamento, Conhecimento, Destaque, Educação, Eventos, Fisioterapia, Fora das Salas, Saúde

O Departamento de Fisioterapia da Universidade de Taubate (UNITAU) recebeu um evento da Associação Brasileira de Fisioterapia Neurofuncional, com diversas palestras sobre doenças neurofuncionais e seus tratamentos.

A Profa. Ma. Karla Rodrigues Cavalcante, coordenadora do curso de Fisioterapia, trouxe a atividade para a UNITAU. Segundo ela, trazer professores e profissionais especialistas em determinados assuntos ajuda, significativamente, no entendimento e aprofundamento do aluno nas matérias.

O que são doenças neurofuncionais?

São doenças que atingem diretamente o sistema nervoso e a Fisioterapia pode atuar com tratamentos específicos.

No evento, foram abordados temas como a Fisioterapia na deficiência visual, nas alterações do fechamento do crânio especificamente nas crianças. Também foi falado sobre o tratamento das alterações vestibulares e as avaliações das disfunções do labirinto, as labirintopatias, que acometem os adultos.

“Foi um evento que trouxe profissionais que trabalham tanto com crianças, quanto com adultos, então houve interesse geral das pessoas que trabalham com esses públicos”, comenta a professora.

Houve, também, uma abordagem em relação à doença de Parkinson. “Foi falado um pouco sobre a doença de Parkinson no ponto de vista teórico e, mais tarde, houve um momento muito interessante, que foi uma roda de conversa com pacientes que possuem essa doença. Tivemos essa roda com o intuito de entender como a cidade lida com essas pessoas, como são as políticas de saúde para eles, de transporte e também ouvir as queixas e dúvidas deles”, explica a docente.

Experiência além da sala de aula

A professora Karla fala, também, sobre o quão importante são esses eventos aos alunos de Fisioterapia. Segundo ela, por mais que os alunos tenham esses assuntos dentro da sala de aula, ter o contato com profissionais especialistas da área enriquece bastante o aprendizado.

 

Matheus Corrêa

ACOM/UNITAU

Foto: Arquivo Pessoal